Evidências Digitais
17 de Fev de 2017

Evidências Digitais

No último dia 02/01/17 o jornal Folha de São Paulo publicou em seu site uma reportagem, assinada pelo enviado especial ao Rio de Janeiro Flávio Ferreira, com o seguinte título: VOLUME DE DADOS DA LAVA JATO LEVA PF A CRIAR NOVO SISTEMA.
                   Confesso que fiquei bastante curioso com o título da reportagem, assim como toda e qualquer publicação relacionada ao ambiente político brasileiro nos últimos tempos. Pois bem, a reportagem relata que a equipe da força-tarefa da operação lava-jato tem utilizado um software chamado de IPED (Indexador e Processador de Evidências Digitais) com o objetivo de acelerar o processamento de informações da PF. Caros leitores é isso mesmo, IPED e não confundam com o nosso e bom conhecido SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) bastante familiarizado e utilizado pela classe contábil.
                   De acordo com a reportagem, o IPED foi desenvolvido por um perito da PF que possui formação em engenharia da computação, e o software tem sido aperfeiçoado com o decorrer do tempo, com a contribuição de outros profissionais da PF. O IPED não é somente de uso para a análise documental e de informações da operação lava-jato, mais também para outros casos investigados pela PF.
                   Ainda de acordo com o texto, o software tem sido muito útil na rotina de trabalho da PF, e tem gerado bastante economia, tanto financeira como de tempo. Dentre suas funcionalidades, duas relatadas na reportagem me chamaram a atenção, uma é um detector de nudez sendo utilizado em apurações sobre pornografia infantil e a outra é um identificador de locais onde são feitos fotos e vídeos, neste caso é realizado por georreferenciamento.
                   Não há dúvidas que instituições como a PF, MPF, RFB, entre outras, tanto a nível federal, estadual e municipal, tem a cada dia buscado aperfeiçoar seu trabalho, não somente com uso do que há de mais atual em tecnologia, mais principalmente com profissionais especialmente capacitados e preparados, e considero esse cenário bastante importante para termos uma país cada vez melhor para se viver.
                   Então o amigo leitor do nosso blog se pergunta, afinal o que isso tem haver comigo ? e vou além o empresário pode se perguntar, o que isso tem haver com os meus negócios ? T U D O !!!!
                   Alguns contribuintes aqui no Brasil, ainda acreditam que tudo pode se resolver no bom é velho “jeitinho brasileiro”, a pergunta é: Qual a dificuldade de entender que do outro lado (nesse caso o fisco !) estão instituições muito bem estruturadas e com profissionais altamente qualificados e preparados ? E já demonstram que sabem utilizar a tecnologia de forma correta.
                   Bom caros leitores, acho que cabe uma reflexão: O que se tem feito no ambiente empresarial, no que tange ao uso de tecnologia e a formação de profissionais, é o suficiente para as empresas serem competitivas e adotarem decisões de forma segura ? Evidentemente não é intuito se comparar as instituições já mencionadas anteriormente com os contribuintes brasileiros, mesmo porque não cabe aqui este tipo de comparação.
                   O que eu particularmente tenho visto nos últimos anos é empresários “fascinados e deslumbrados”, por exemplo, com o uso de funcionalidades do excel como se todos os seus problemas fossem resolvidos, e talvez seja por isso que muitos anúncios de empregos se torna mandatório “ter conhecimento em excel avançado”. Ora caros leitores do nosso blog, não cabe aqui nenhuma crítica a ferramenta excel (que muito eu gosto e me ajuda !) e ainda aqueles que dominam tão bem essa excelente ferramenta, mais particularmente não considero seguro e confiável uma empresa que fatura milhares e/ou milhões de reais ter seus controles internos em sua totalidade no excel, afinal depois do que disse Edward Snowden todo sigilo e zelo na tecnologia não é demais.
                   Afinal, porque as empresas não utilizam com mais frequência os sistemas de informações a nível gerencial ? Com o uso dos módulos como o SIG, SPT, SAD, SAE, pode-se pensar em preparar profissionais que possam ANALISAR as informações extraídas, e com isso ter mais agilidade e também buscar reduzir a margem de erro no processo de tomada de decisões.
                   Como profissional da área contábil e financeira, considero a área de TI um dos maiores parceiros da contabilidade. Porque então não investir em profissionais de análise de sistemas de informação ? Outro exemplo, no setor financeiro não seria importante a implementação de um sistema de informação adequado para operações financeiras e a contratação de um profissional perito ? nesse caso independe ser um administrador, contador, economista, engenheiro ou outra formação a fins, o importante é este profissional ter habilidades em perícia financeira e fazer uso de sistemas de informação específico para operações financeiras complexas, haja vista que as empresas trabalham com empréstimos bancários onde há a prática de taxa de juros, pagam juros pelo uso do limite da conta, existe muitas vendas em cartão de crédito e em várias parcela, etc.
                   Existem controles internos fidedignos que realmente garantem as empresas que aquilo que se tem pago de juros é o pactuado no contrato ? tem-se controles internos fidedignos de que todas as vendas parceladas em cartão de crédito estão sendo recebidas conforme contratado com as administradoras de cartão de crédito ? Sempre que faço essa pergunta a algum empresário, as respostas variam e podem ser: “não, não sei, acredito que sim, não consigo acompanhar, os bancos só pensam em ganhar, a carga tributária é muito alta, etc. etc. etc.”.
                   Por fim, acho a discussão e o debate muito saudável e importante, entendo que com o advento da tecnologia nos últimos anos, as empresas não podem ficar limitadas em produzir e interpretar as informações, e devem explorar continuamente as mais variadas ferramentas tecnológicas, afinal também é importante para os contribuintes terem as evidências digitais de suas operações.

                   Viva a tecnologia !
                   Sucesso à todos e bons negócios !

Edson Martins

Sobre o autor Edson Martins

Contador e consultor empresarial, especialista em Contabilidade e Gestão Tributária, possui MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela FGV-GO e cursa MBA em Gerenciamento de Projetos na FGV-GO. Perito Contábil credenciado pelo TRT-GO e com certificação no CNPC (Cadastro Nacional dos Peritos Contábeis) atendendo a nova exigência do novo Código de Processo Civil. Mediador e Conciliador em gerenciamento de conflitos certificado pela ACIEG – TJ/GO (tribunal de Justiça). Atua a mais de 19 anos nas áreas contábil, finanças, tributário e controladoria, exercendo posições de destaque em empresas brasileiras e multinacional nos segmentos de indústria de alimentos, administração de consórcio, consultoria contábil e de gestão de pessoas, construção civil e concessionária de veículos. Professor convidado em MBA’s de Gestão Empresarial e Controladoria e Finanças.

Dúvidas? Fale conosco